Noruega – Jostedalsbreen, Sogndal, Solvorn e Urnes

Geleira de Jostedalsbreen vista de longe

Digamos que a minha esposa não é a pessoa que mais se anima quando o assunto é ficar em regiões afastadas da civilização ou atividades radicais pseudo perigosas.

Já faz alguns anos que tinha ouvido falar da onipotente geleira de Jostedalsbreen, que é a maior geleira de Europa. Logo no início do planejamento da viagem coloquei ela nos planos, mostrei a foto acima pra Roberta e disse:

Meu amor, o que acha de fazermos uma escalada na maior geleira da Europa na região central da Noruega ? Pra isso só precisamos pegar um teco-teco que voa próximo aos fiordes, descer num aeroporto que fica na beira de uma montanha e ficar uns dias num albergue em uma cidade que só tem 200 pessoas. E ai topa ? =)

Imagine a animação dela…

De longe essa foi a parte mais trabalhosa de se planejar em toda a viagem.
O problema é que a geleira de Jostedalsbreen fica numa região muito afastada, praticamente rural, e nenhuma das cidades que estavam em meu cronograma eram próximas.

Bom, fiz várias rotas, mas o que realmente me ajudou foi essa discussão no TripAdvisor
Pra quem não conhece, o TripAdvisor é um dos maiores sites/forum de turismo do mundo, muito bom pra quando você quer montar planos para lugares que não são muito populares.

Queria fazer duas coisas naquela parte da Noruega: Visitar a Stave Church(igreja de madeira) mais antiga do mundo, que fica no vilarejo de Urnes e escalar a geleira. Na verdade não é exatamente uma escalada, é algo mais tranquilo, uma caminhada subindo ela, sem ter que escalar paredões e tal. Eu queria escalar de verdade, mas a Roberta quase me matou quando falei isso pra ela.

Como chegar de Bergen a região de Jostedalsbreen ?

Veja o mapa abaixo, eu precisava ir do ponto A até o ponto B

Bergen To Jostedalsbreen map
Meus planos era ficar na cidade do Solvorn, onde tinha um ônibus que ía até a geleira, mas não é possível ir direto de Bergen até lá, então primeiramente tive que pegar um voo doméstico com a Widerøe até uma cidade que se chama Sogndal.

Wideroe plane in NorwayAvião da Widerøe

A viagem de Bergen até Sogndal é rápida, dura cerca de 40 minutos e é no mínimo emocionante, porém, espetacular.
Emocionante pois aviões de pequeno porte como esse tem muita turbulência e fazem mudanças de altitude muito bruscas, o pouso é uma emoção a parte!
Espetacular pois como esse tipo de avião voa baixo a vista é um show a parte. Fora os pequenos vilarejos é possível ver os fiordes e florestas.

A Roberta achou que o avião fosse cair na hora do pouso! =)
E acredite… eu morreria feliz alí. O aeroporto de Sogndal fica no topo do fiorde, então imagine você sobrevoando a Noruega, aquelas paisagens maravilhosas, aquele mar lindo, de repente o piloto aponta pra montanha e desce com tudo para uma micro pista no meio das árvores. Uma das mais lindas paisagens que já ví.
O aeroporto de Sogndal é também o menor que já ví. Tem apenas duas salas, uma para embarque e outra para desembarque.

Do lado de fora, apenas um ponto de ônibus e um estacionamento. No mesmo lugar, pegamos um ônibus até o centro de Sogndal onde aguardamos o ônibus para Solvorn, onde ficamos hospedados.

Solvorn

Solvorn é um vilarejo muito populoso… possui 200 habitantes!
Logo no começo a Roberta me perguntou: “Por que diabos você quer ficar numa cidade de 200 pessoas no meio do nada ???“.
Por dois motivos:
1 – Queria visitar a Stave Church de Urnes, a mais antiga do mundo
2 – É uma cidade que tem ônibus direto para a geleira.

Para isso, ficamos hospedados em um albergue em Solvorn.

Eplet Hostel – Bed and Apple

Eplet HostelAlbergue Eplet

Veja o site do Eplet – http://www.eplet.net/
O Eplet é um albergue fora do tradicional que estamos acostumados por aí.
Veja o texto escrito por Trond(dono do Eplet) que está na página inicial deles:

Após muitos anos viajando de bicicleta pelo mudo, decidi me estabelecer na parte mais interna dos fiordes do oeste Norueguês para criar um lar para viajantes de todo o mundo. Já hospedamos pessoas de mais de 60 países.
O meu objetivo é fornecer turismo rural acessível e moderno com uma atmosfera familiar única, onde todos possam se sentir em casa.

Sem luxo, mas com muito charme. A atmosfera no Eplet é uma mistura de uma pequena família e um moderno albergue, com música ambiente e uma biblioteca onde você pode trocar seus livros.
O ‘Eplet Bed & Apple’ é localizado no meio de um pomar onde colhemos frutas como maçã e frutas vermelhas, tendo a vista mais impressionante do fiorde. Em nosso porão nós temos a nossa fábrica de suco. Nossos produtos são vendidos em restaurantes e cafés.

Em nosso jardim, temos rede para você relaxar e jogar nosso golf improvisado. Embaixo da nossa árvore de ameixas, nós temos nossas ovelhas que são alimentadas todas as tardes. Na garagem você pode pegar uma de nossas bicicletas e partir para uma pedalada seguindo a nossa ‘rota romântica’ ao lado do fiorde Lustrafjord. Pode também visitar as cachoeiras, a stave church de Urnes que é um patrimônio da Unesco ou quem sabe fazer um safari com os kayaks no Sognefjord, o segundo maior fiorde do mundo

Tudo isso lhe parece um paraí­so ? Venha e veja, você é muito bem vindo

Pra vocês entenderem melhor o que Trond quis dizer, veja a foto que tirei do jardim deles (Clique na imagem para ver em tamanho maior)

Eplet Hostel viewVista do Eplet

Mesmo sendo um albergue, ficamos em quarto privativo, porém o banheiro era comunitário. Logo quando se chega no Eplet, você deve tirar o tênis e andar descalço ou de meia. Palavras do Trond: “Dessa maneira, podemos ficar mais tempos conversando com os hospedes e menos tempo limpando a casa“. Bem pensado meu amigo.


Vejam a vista que tínhamos do quarto. Ainda ganhamos um suco!

Tudo muito bonito e bem arrumado.
Apesar de ser um albergue, sem TV e numa cidade que tem apenas 200 pessoas, tinha computador com internet. 20 coroas norueguesas por 30 minutos. Você não compra um ticket e não existe controle de minutos de acesso. Você vai lá, usa e meu amigo Trond confia que você irá pagar o que deve.
Palavras de Trond: “Nossa casa é baseada na confiança, todos aqui são uma grande família

Eplet hostel internet boxEu paguei 🙂

O contato com a natureza é intenso no Eplet, você pode ir alimentar os animais, brincar com os coelhos ou quem sabe até colher algumas frutas.

Eplet hostel sheepHappy sheep!

Urnes Stave Church

Visitar essa igreja não estava em meus planos, mas como era muito próximo a Solvorn, decidí ir visitá-la.
Já tinha visitado uma stave church em Oslo, descrevi neste post.
A igreja de Urnes é considerada a mais antiga do mundo dentre as stave churches com cerca de 1000 anos de idade. Para chegar lá, bastou pegar uma balsa de Solvorn e uma pequena íngrime caminhada até o topo.

Como muitas coisas na Noruega, o “meio do caminho” me chamou tanta atenção quanto o destino final. Durante a balsa, fiquei conversando com a moça simpática que organiza os carros e colhe bilhetes dentro da balsa.
Começei falando que eu era do Brasil e que estava adorando, ela disse: “Você deve ser o primeiro brasileiro aqui este ano“. Bom, é de se esperar em uma cidade tão pequena!

Ela perguntou se eu tinha gostado de Oslo, eu disse que sim, ela disse “Eu não gosto não, fui a uns 3 anos e não quero voltar, muita agitação, muita bagunça“. Realmente, Oslo é um metrópole avançada, uma cidade que não dorme, mas eu já estou acostumado com isso.

Enquanto eu falava com ela, os passarinhos estavam na beira da balsa e ela estava jogando pão para eles… eu perguntei: “Você não sente falta da agitação, aqui não é parado demais ?” e na maior simplicidade do mundo ela me diz, enquanto alimentava os passarinhos: “Olhe ao seu redor André… olha esse fiorde, olha esse mar, olhe os passarinhos, olhe a floresta… em meu trabalho eu conheço pessoas diferentes como você, respiro esse ar maravilhoso e tenho essa qualidade de vida que parece um cartão postal…. preciso de mais alguma coisa ?” Fiquei totalmente sem palavras.

As vezes damos tanto valor as coisas materiais que esquecemos do quão importante é ter uma qualidade de vida.

Urnes Stave Church in NorwayUrnes Stave Church


Urnes Stave Church in NorwayDetalhe da arte feita nas paredes da igreja. Este símbolo está na moeda de 50 centavos

Infelizmente não é permitido filmar dentro desta igreja, mas é absurdamente LINDA! Diferente da Gol Stave Church que visitei em Oslo, a de Urnes é muito bem conservada, tem um altar, bancos e uma área fechada que era destinada aos nobres da época. É até possível fazer um casamento lá dentro, mas creio que não deve ser nada barato.

Glacier Bus

Dia 11 logo pela manhã acordamos e pegamos o Glacier Bus, que é um ônibus que faz apenas uma viagem por dia, passando por varias cidade e terminando na geleira. O itinerário: http://www.jostedal.com/brebussen/eng-sogndal.htm

O ônibus não vai direto, ele para em um museu, que fica próximo à montanha e espera lá por meia hora até te deixar na frente da geleira. Como todos os lugares que peguei transporte na Noruega, a vista é fantástica. Este rio que aparece no vídeo abaixo, sai de dentro da geleira. Já fiquei na frente do ônibus onde tinha uma vista privilegiada da viagem.

Roberta at the Glacier BusA Roberta admirando a paisagem

Dentro do museu Breheimsenteret, é possível comprar os ingressos para a escalada(desde que já esteja reservado), visitar a galeria de imagens, comprar souvenirs e fazer um lanchinho.

Sweet at BreheimsenteretAproveitei para experimentar uma iguaria local, um doce com camadas de massa bem fina, uma delicia!

JostedalEsperando o ônibus com a geleira ao fundo

A escalada em sí

Bom, chega de papo e vamos ao que interessa, o tour pela geleira.

Para fazer esta escalada, você precisa ir acompanhado de um guia, existem algumas empresas que fazem esses tours, as mais famosas são a IceTroll e a BFL.
Existem tours que vão de 3 horas até vários dias, depende do seu ní­vel.
A priorí, eu ía fazer com a IceTroll, mas os horários não estavam bons pra mim, então acabei optando pelo Blue Ice Trip da BFL. Quem quiser mais informações, vejam esse link: http://www.bfl.no/blue-ice-trip.html

Nesta parte, preciso agradecer muito a minha amiga Meeta. Ela tem um blog ótimo sobre culinária, fotos e viagens, deem uma olhada: What’s For Lunch Honey?
Ela me ajudou muito no planejamento dessa parte, pois ela fez um belo tour pela Noruega também. Vejam os post dela sobre a Noruega:
http://www.whatsforlunchhoney.net/2010/07/serendipity-in-norway-part-1-mandal.html
http://www.whatsforlunchhoney.net/2010/08/part-2-serendipity-in-norway-bergen.html

Começamos pegando o ônibus do museu até o lago que fica em frente a geleira. Cerca de 10 minutos até chegar lá.

Jostedalsbreen lakePonto incial da caminhada, fomos de barco até o inicio da geleira

Uma dica que como marinheiro de primeira viagem aprendi na marra: Vá com calça e blusa(de preferencia com capuz) impermeavel, botas de tracking e luvas…. não esqueça das malditas luvas!!!

Bricklayer glovesComo não levamos luvas, fomos agraciados com essas maravilhosas luvas de pedereiro

Bricklayer shoesE pra combinar com as luvas, me deram essas confortáveis botas de lenhador

Ready for actionProntos para a ação!

O instrutor nos ensinou a amarrar os spikes no tênis, com eles você tem total firmeza na pisada. A Roberta não concorda com isso.
Como eu disse, é mais uma caminhada do que uma escalada, mas para quem nunca fez nada do tipo, pode exigir um certo preparo físico.
Começamos subindo uma escada que foi esculpida no gelo e dalí pra frente era apenas a mãe natureza mostrando o caminho 🙂

Reparei que a Roberta começou a ficar tensa quando vimos uma pequena rachadura no gelo e nosso intrutor foi sozinho até lá e disse: “Vou quebrar um pedaço desse gelo e ouvir quando ele bater no fundo, para sabermos se essa fenda é profunda“. Ele quebrou… 1… 2… 3… 4… BAM! O pedaço levou 4 segundos pra atingir o fundo. Segundo ele, devia ter mais de 100m aquela pequena fenda. Os olhos da Roberta começaram a ficar vermelhos como uma criança que leva um susto…

Caminhamos cerca de 40 minutos até chegar em uma caverna de gelo onde pudemos entrar e tirar algumas fotos:

Hiking JostedalsbreenA caverna azul

Hiking JostedalsbreenNão deixem esse sorriso lhes enganar… ela estava puta comigo!

A Roberta estava com uma calça de moletom, porém tinha uma blusa impermeável com capuz e eu estava com uma blusa impermeável sem capuz, apenas com uma toca, e adivinha o que aconteceu?
CHUVAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

Isso foi vacilo nosso mesmo, eles falam que na montanha a variação de clima é muito rápida, quando chegamos estava sol, quando começamos estava nublado, depois choveu, na descida, abriu o tempo novamente.
Não fiz muitos vídeos durante a escalada, pois com uma mão eu segurava o martelo e com a outra eu segurava a corda. Eu pensei: “Vou filmar ou tentar não cair nessas fendas no gelo???“. Mas consegui fazer alguns… vejam o vídeo abaixo, reparem no despreparo físico do peão e do olhar assassino que Roberta manda como se fosse um leão fitando a presa:

Apesar de me sentir na mira de um fuzil toda hora que a Roberta me olhava, foi uma aventura maravilhosa, ver aquela agua azul que sai do meio do gelo, entrar em cavernas de gelo, e mesmo com a chuva, ter uma vista deslumbrante lá de cima. Não consigo demostrar nem 10% do que foi esta escalada, pois é dificil tirar fotos e fazer vídeos durante a caminhada, mas o percurso inteiro foi cerca de 4 horas, sendo que 2 horas e 30 minutos desse tempo foi no gelo.

Meu objetivo era apenas fazer essa subida na geleira, mas graças a isso, tivemos experiências maravilhosas e engraçadas pegando aviões bimotores, acessando áreas remotas, ficando em cidade com 200 pessoas, visitamos a mais antiga igreja de madeira do mundo e conhecendo pessoas extremamente apaixonadas pelo que fazem e que amam a natureza e sua qualidade de vida.

Sem dúvida são memórias eternas que espero um dia fazer novamente e me surpreender com tudo isso mais uma vez!

At JostedalsbreenFoto perfeita para finalizar esse post 🙂

page-divider

40 thoughts on “Noruega – Jostedalsbreen, Sogndal, Solvorn e Urnes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *